Vila Nova

Documento/Processo, 1848 – 1848


Estamos perante outro magnífico desenho, desta vez de Vila Nova com as mesmas características de rigor encontradas nos desenhos de Cesário Augusto Pinto, de tal modo que também por esta estampa é possível ler o urbanismo de parte do actual Centro Histórico de Vila Nova de Gaia.
Se ao nível do rio o elemento dominante são as barcas de passagem, já na margem se evidenciam os pipos em frente ao Largo da Praia, actual largo Miguel Bombarda, que então se encontrava desimpedido; no seu canto direito inicia-se a Rua Direita, actual Cândido dos Reis, que lá vai seguindo pelo meio do casario. Distinguem-se perfeitamente a Capela de Sra. da Piedade da Areia, a esquerda e a direita da gravura, meia oculta pelo casario, a Igreja de Santa Marinha, ainda sem a torre.
Dominando o centro da estampa, os bosques da Quinta do Terreirinho, depois cortada na segunda metade do século, pelo caminho-de-ferro, que estabelece a estação Iá para as Devesas, no alto onde nesta gravura existe um curioso mirante.

  • Objectos Digitais
  • Ver em ecrã completo

  • Descrição
    • Série
    • Identificador 298706
    • Código parcial 8
    • Arquivo
    • Notas

      Nota ao campo 1.3 Título: Legenda original da gravura "As margens do Douro: Villa Nova".
      Notas ao campo 5.4 Notas de publicação: Autor / Obra: Cesário Augusto Pinto e litografia de J. C. V. Vila Nova; "As Margens do Douro, Album de Doze Vistas" por Cesário Augusto Pinto, Porto, 1849.
      Observações: Coleção de Estampas & Mapas Antigos de Vila Nova de Gaia: Gaia/ Afons'eiro, 1989.


  • Subordinados