Pae Paulino

Produtor, 1877/07/15 – 1879/03/10


Sebastião Sanhudo mudou-se ainda jovem para o Porto, onde se empregou como aprendiz de litografia. Uma habilidade natural para exercer a arte, aliada a um profundo empenho na mesma, em breve lhe proporcionaram o reconhecimento público assim como uma razoável melhoria das suas condições económicas. Deste modo, animado pelo sucesso obtido, o jovem ilustrador decidiu dedicar-se à imprensa, fundando a 15 de Julho de 1877 o "Pae Paulino" - juntamente com Agostinho Albano (director) e António Moutinho de Sousa (gerente) -, o qual constituiu o primeiro periódico de caricaturas verdadeiramente digno desse nome que se publicou no Porto. Publicado semanalmente às segundas-feiras, o "Pae Paulino" conquistou de imediato as boas graças do público portuense, não apenas por causa das caricaturas de Sanhudo mas também devido à "revista ilustrada dos acontecimentos da semana", que ocupava integralmente a quarta página do jornal, e que então obteve um enorme sucesso. Segundo Alberto Bessa, "uma dessas revistas dos acontecimentos, alusiva a certa exposição de aves, realizada no Palácio de Cristal, rendeu ao bom do Sanhudo uma bofetada da célebre Alvelos, que fora proprietária do Grande Hotel do Louvre, na Rua do Rosário, onde se hospedara o imperador do Brasil, na sua visita ao Porto. Não gostando aquela dama de se ver caricaturada em forma de ave, procurou o Sanhudo na litografia da Rua do Laranjal, e desforçou-se como fica dito. Sanhudo, esquecendo o apelido, visto tratar-se de uma senhora, ficou com a bofetada e não deu troco. Não obstante o sucesso obtido, o "Pae Paulino" teve uma existência curta, pouco mais de um ano e meio, tendo suspenso a publicação em 10 de Março de 1879. Por razões que não são conhecidas, o próprio Sebastião Sanhudo já tinha abandonado o jornal - desde o seu nº 25, de Janeiro de 1878 -, passando o seu lugar a ser ocupado por Ruy Vaz. Publicou-se, mais tarde, a partir de 3 de Agosto de 1891, uma segunda série do "Pae Paulino", ilustrada por A. Nogueira - que apesar da qualidade dos seus trabalhos não conseguiu fazer esquecer Sebastião Sanhudo -, a qual foi de curta duração, tendo o jornal desaparecido definitivamente após a edição de apenas seis números. O periódico que, no entanto, proporcionou a consagração definitiva a Sebastião Sanhudo foi "O Sorvete", por ele fundado em 9 de Junho de 1878, e que constituiu o jornal humorístico de maior longevidade no século XIX, mantendo-se nas bancas durante 22 anos, como salientou Osvaldo Macedo de Sousa na sua obra enciclopédica "História da Arte da Caricatura de Imprensa em Portugal". Para este investigador, o "Pae Paulino" constituiu um "jornal-sondagem, para estudo do gosto do público nortenho, para encontrar a fórmula que o público portuense desejava ou queria nas suas leituras".

(Fonte: https://www.publico.pt/2002/02/10/jornal/o-caricaturista-do-porto-167276, consultado a 2017-11-08)

  • Descrição
    • Tipo de entidade Coletividade

    • Código parcial PP
    • Data de produção 1877/07/15 – 1879/03/10
    • Data de existência 1877/07/15 – 1879/03/10
    • História arquivística

      Fundo documental constituído por um livro com a totalidade das publicações dos jornais "Pae Paulino" incorporado pela Gaiurb através da Guia de Remessa 25/2017 .

    • Língua
      Portuguese
    • Alfabeto
      Latin

  • Relações